sábado, 10 de janeiro de 2009

Treino

Hoje: treino de Parkour *-*

Pra não deixar de postar, texto das antigas, mas tá valendo.
Mais tarde volto contando as novidades.

______________________________________________**


Eternizar

Foi amor a segunda vista. Terceira talvez. Desses que você não dá a menor importância. ‘Ah, ele é até bonitinho’. Mal sabia eu que o bonitinho sem importância faria uma revolução em minha vida. Foi chegando de mansinho, como quem não quer nada e ficou. Por longos sete anos permaneceu em seu altar, no lugar mais seguro e intocável do meu coração. Ninguém entra, ninguém sai. Era eterno, pelo menos assim eu pensava e queria. É, eu queria que fosse pra sempre e consegui, por longos sete anos. Eternizei seu rosto, seus gostos por skates e bikes, até mesmo o Linkin Park, que doía aos meus ouvidos mas eu precisava eternizar, então, eu aguentava.
Eu o encontrava em todo lugar. No garoto de bicicleta; em campeonatos de skate; no outro com o mesmo corte de cabelo; em outro com o mesmo tom de pele ou nariz fino como o dele. Existiam vários e minha imaginação louca para encontrar o original. Cópias imperfeitas espalhadas por todos os cantos e cidades e até mesmo em outro país. Busquei por anos um ideal, a imagem que meus sonhos fizeram dele. Encontrei! O objeto da minha perseguição incansável agora estava diante dos meus olhos, mas, era bem diferente. Era também uma cópia imperfeita do meu imaginário, mas não me decepcionei. Nem com sua mania irritante de sumir, de mentir, de inventar histórias mirabolantes e me fazer chorar. A dor sempre passava porque meu ideal era perfeito e assim tinha de ser. Era perfeito na sua imperfeição, até mesmo quando me ligava pra contar sobre as outras ou sobre a namorada oficial e linda que eu nunca fui. ‘Eu te amo e a gente se encontrar qualquer dia’, ele disse. E sumiu, por várias e várias vezes.
Foi eterno e perfeito porque eu queria que assim fosse. Até o dia que eu não quis mais. O perfeito virou vagabundo, drogado, a imperfeição em pessoa. Ainda existe carinho e zê-lo, mas nada desesperado. O eterno se desfez. A imagem idealizada também. O lugar no coração, esse ainda existe, mas está livre, não pra quem quiser, mas pra quem conseguir. E eu espero, sinceramente, que alguém consiga ficar pra sempre, mesmo que o pra sempre sempre acabe.

2 comentários:

energizeme disse...

O treino foi bom! Só preciso pegar rítmo =x

"Meu coração não se cansa
De ter esperança
De um dia ser tudo o que quer
Meu coração de criança
Não é só a lembrança
De um vulto feliz de mulher...

(...)

Meu coração vagabundo
Quer guardar o mundo
Em mim!"

Rafaela disse...

vai pegar sim..
eu tbm preciso...
com perseverança a gente chega lá.

espero te ver nos treinos com regularidade..



gostei da música...

xD

Contador

Este blog possui atualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo